Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/03/22 às 19h00 - Atualizado em 30/03/22 às 16h20

Cresce o número de mulheres no mercado de trabalho do DF

COMPARTILHAR

O nível de ocupação passou de 612 mil para 648 mil em um ano

 

Na semana da mulher, a ipe, em parceria com o Dieese, divulgaram, em transmissão ao vivo, com participação da Secretária da Mulher do Distrito Federal, Ericka Filippelli, o Boletim da Mulher no Mercado de Trabalho do Distrito Federal. A pesquisa, com a mesma metodologia da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), foi feita em 2,5 mil domicílios no Distrito Federal e 500 residências de cidades do entorno, mostra que houve um crescimento na participação da mulher em locais de trabalho.

 

Em comparação com o mesmo período de 2020, foi analisado que no segundo semestre de  2021, o número de mulheres inseridas no mercado de trabalho (36 mil) foi maior que o número das que se tornaram aptas ou demonstraram interesse em ingressar no mercado de trabalho (31 mil), causando uma diminuição na porcentagem de mulheres desempregadas, como diz Clarissa Schlabitz, diretora de estudos e políticas socioeconômicas da ipe:

 

“O boletim mostra um avanço conjuntural da participação da mulher no mercado de trabalho, porém, a desigualdade de gênero continua estrutural e se mantém ao longo dos anos, indicando que ainda há espaço para melhorias.”

 

Porém mesmo com este avanço, foi constatado o acúmulo destas na área de serviços, ocupando uma grande parte da força de trabalho feminina na capital, resultando na ida destas mulheres para trabalhos já considerados femininos pela sociedade, como empregadas domésticas e cuidadoras, assim como outros trabalhos neste segmento.

 

Além disso, foi registrado uma atenuação no Rendimento Médio Real Mensal das mulheres, onde deixaram de ganhar mais de R$ 500,00 todo mês se comparado ao mesmo período do ano anterior, R$ 3.784,00 para R$ 3.264,00, mesmo com uma hora a mais de trabalho por semana, que passou de 38 horas para 39, trabalhando duas horas a menos que os homens, como também diz Lúcia Garcia, técnica e economista do Dieese:

 

“Este estudo que acabamos de divulgar é elaborado todos os anos e, com isto, identificamos a situação das mulheres no mundo econômico em cada momento conjuntural – um contexto duro que exclui e desvaloriza uma parte significativa da população e seus esforços produtivos. Neste momento, em que a sociedade ensaia o reaquecimento econômico, pós COVID, o que constatamos é que as mulheres voltam ao mercado de trabalho, mas ainda em ritmo inferior aos homens e embora encontrem trabalho, o desemprego feminino cai mais lentamente. Também é importante assinalar que as oportunidades de trabalho que estão surgindo, tem maior proeminência em serviços e com viés em segmentos de menor regulamentação e rendimentos. Dessa forma, ao comparar o ano de 2021 a 2020, contatamos melhorias e preocupações”.

 

Mesmo assim, há coisas a se comemorar. O contingente de mulheres como responsáveis financeiras aumentou, reforçando o fator crescente no Brasil e no DF, cada vez existem mais chefes de família mulheres .

 

Houve também crescimento no número de ocupadas baseados em suas escolaridades, quando possuem Ensino Médio completo existiu um aumento bem representativo, comprovando uma busca por maior qualificação do mercado de trabalho.

 

Existem vários pontos a serem melhorados no quesito mulher no mercado de trabalho, assim como Daienne Machado, Diretora de Estudo e Políticas Sociais da ipe diz:

 

“Estamos avançando, mas há muito a se avançar”

 

Acesse aqui:

Boletim Anual PED-DF – Mulheres no Mercado de Trabalho 2º Semestre 2021 a 2º Semestre 2022

 

 

Reportagem: Matheus Vaz, supervisão de Ary Filgueira – Ascom/ipe

Foto: Tony Winston, Agência Brasília

IPEDF - Governo do Distrito Federal

Instituto de Pesquisa e Estatística do Distrito Federal

Setor de Administração Municipal – SAM, Bloco H, Setores Complementares – CEP: 70.620-080
E-mail: ipe@ipe.df.gov.br
Telefone: 3342.2222